quinta-feira, 15 de setembro de 2011

Família Dantas

Por Roberto Sandoval : rlavodnas@gmail.com ou rlavodnas@hotmail.com

Introdução :
.
Vila Nova de Cerveira - Em 1188, D. Sancho I doou em préstimo a João Mendes e sua mulher a vila onde se situava Cerveira, de nome Vila Nova.
Segundo as Inquirições de 1258, o julgado de Cerveira compreendia as paróquias de Moreira, Vila Meã, Cornes, Sapardos, Seixas, Vilar de Mouros, Nogueira, Campo, Lanhelas, Mangoeiro (hoje, Gondarém), Lovelhe, Sopo, Reboreda, Mentrestido, Gondar e São Cipriano.
No Censual de D. Diogo de Sousa (1514-1532), no qual é feito o apuramento da contribuição, que os 140 benefícios, até 1444 pertencentes à Sé de Tui e nesse tempo incorporados na diocese de Braga, tinham de pagar à arquidiocese, a igreja de Vila Nova vem também mencionada. Tinha de rendimento 69 mil réis.
Em 1545, no Memorial do vigário da comarca de Valença, Rui Fagundes, o arcediagado de Cerveira rendia 110 mil réis por ano, sem contar com a metade da igreja de Lovelhe que lhe pertencia. 
O Censual de D. Frei Baltasar Limpo, na cópia de 1580 utilizada pelo Padre Avelino J. da Costa no seu livro "A Comarca Eclesiástica de Valença do Minho", refere que o rei detinha o padroado de São Cipriano de Vila Nova de Cerveira.
O arcediagado de Cerveira, enquadrado na Terra de Vila Nova de Cerveira, da colação do arcebispo, tinha como anexa "in perpetuum'" a metade sem cura da igreja de Lovelhe.
De abadia do padroado real passou, depois, a ser da apresentação dos viscondes de Vila Nova de Cerveira, alcaides-mores da vila. O abade tinha de rendimento 150 mil réis, correspondentes a duas terças. A terça restante era aplicada às fortificações da praça, arrendando-a a câmara da vila em nome do rei.

O século XVII e as Guerras da Restauração marcariam a história deste Concelho e o seu património histórico, ao ser construída uma fortaleza que envolveu a vila, apoiada por dois outros pontos fortificados, a Atalaia do Alto do Lourido, e o Forte de Lovelhe, mandados edificar pelo Governador das Armas do Minho, pressionado pela necessidade de defesa da fronteira.

Este novo movimento de construção consistiu basicamente numa reformulação e alargamento da fortificação medieval, à qual foi aplicada uma plataforma voltada ao rio vocacionada para bater a vizinha fortaleza de Goian. O alargamento das muralhas envolveria o burgo, que desde sempre extravasara o perímetro do Castelo


A vila, assim circundada, consolidou o seu edificado mediante os principais eixos viários, a Rua Queirós Ribeiro fechada pela Porta de Valença, a Rua César Maldonado e Costa Brava [onde foi morador Martim Vaz , conforme seu reg. de óbito em 1644], com a Porta de Viana, a Travessa da Matriz com a Porta de Traz da Igreja e a Porta do Cais fechando a vila ao rio. O Forte de Lovelhe, especificamente construído e preparado para resistir às tentativas de união ibérica, acabaria por prestar outros relevantes serviços ao País, em especial nas Invasões Francesas. Se no decurso das Guerras da Restauração a sua presença foi determinante na dissuasão das hostes filipinas, nesta última acção foi tanto mais importante, ao impedir as tropas francesas, sob o comando do Marechal Soult, de efectuarem a pretendida travessia do Rio Minho, no dia 13 de Fevereiro de 1809.

.
Cap. I - Maria Dantas

Maria Dantas e seu marido Bento Vicente , nascidos no início do século XVII , foram moradores em Vila Nova de Cerveira , Viana do Castelo , Portugal , casados que foram no segundo quartel do mesmo século , onde tiveram , pelo menos , a filha Caterina Dantas , que segue :

Cap. II - Caterina Dantas

Caterina foi casada , pelos anos de 1650 , com Gaspar Lourenço , natural da mesma vila , batizado em 02/09/1630 na Igreja de São Cipriano , falecido na mesma localidade em 21/03/1692 , filho de Gaspar Lourenço , o Velho , e de Joana Barbosa , neto paterno de Lourenço Pires e de Maria Lourença , neto materno de Martin Vaz e de Isabel Barbosa.

Dos registros de óbitos de Vila Nova Cerveira

Martim Vaz

Aos trinta dias do mes de Agosto de mil / he seiscentos , he quarenta , e quatro anos / se  faleceu Martim Vaz m.or [morador] na rua da Costa / Brava confessou , he communguou , he foi ú  / gido [ungido] , fez testam.to [testamento] e seu testament.ro [testamenteiro] Sebastião ...... / e D.os Fs [Domingos Fernandes]. Está enterrado into [junto] ao meio da / Igr.a [igreja] na sua sepultura , he por verdade o assig / nei o p.e encomendado. P.e  de Araujo Boletti

Caterina Dantas e seu marido Gaspar Lourenço , deixaram , pelo menos , as filhas :

... Maria Dantas , que segue
... Joana

Cap. III - Maria Dantas
.
Maria Dantas foi batizada na Igreja de São Cipriano aos 21/01/1663 , na mesma vila de Nova Cerveira. , falecendo em Setembro de 1727.
.
M.a  [Maria]
Aos vinte e hú dias do mez de Janeiro de 663 [1663] annos Baptizou de minha (licença) o Conego Manoel Barbosa ha M.a filha de Gaspar Lco [Lourenço] o novo he de sua molher Caterina Dantas. Forão Compadres Gaspar "Vaz" do Arrebalde e Isabel Dantas todos meus fregueses era ut supra.
O Pe. Manoel "Amorim" Cunha.

.
Óbitos de Vila Nova de Cerveira , atual Distrito de Viana do Castelo , Portugal.
Registro parcialmente destruído , faltando uma parte da página :
.
"....... do mes de setembro de mil e sete centos e vinte ..... Maria Dantas , viuva q. ficou de D.os Martins ...... sacramentos da Santa Madre Igreja ...... não fez testamento ........
Abb.e [Abade] Manoel ........ Varella".

.
Casou-se Maria Dantas , aos 25/02/1685 , na Igreja de São Cipriano da mesma vila , com o Sargento Domingos Martins , natural da freguesia de Calheiros da Ponte de Lima de Viana do Castelo , nascido aos 18/05/1642 e batizado aos 25 da mesma era na Igreja de Santa Eufêmia em Calheiros , filho de Manoel Martins da Aldeia do Rápido e de Maria Rodrigues da Aldeia dos Casais.
.
Dos reg. de Vila Nova de Cerveira , 21a página , Distrito de Viana do Castelo , Portugal :

"D.os Mins con  [Domingos Martins]
Maria Danttas

Aos vinte e sinco dias do mes de fevereiro de mil seiscentos e oitenta e sinco a Ressebi por palavras de prezente na forma do sagrado Conc. Trid. [Concelho Tridentino] a D.os Mis Sargento da Freg.a de Calheiros con M.a Danttas [Maria Dantas] f.a de g.par Lco [filha de Gaspar Lourenço] Carpinteiro do Arrabalde sendo padrinhos Ilmo Cappittão ......  Barboza e Thomas Ribeiro de São Pajo o pe D.os da Silva , e joão pinto Sapateiro e outros mtto mais povo q. estiverão prezentes e por mim fis que assinei dia era ut Supra.
Pedro Marinho Malheiro.
(Igreja Matriz de São Cipriano)

Visto ........ aos 31 de Mayo de 1685 , "Castor"
.
Maria Dantas e seu marido o Sgt. Domingos Martins deixaram os filhos seguintes :

... 1) Maria Dantas , nasc. em 1688 , casada aos 7/2/1711 , com Francisco Barbosa Castro. Deixaram , pelo menos um filho de nome João Barbosa Castro , nasc. 16/02/1713 , este casado com Antonia Maria de Jesus , nascida em 1728 , natural de Ouro Branco , MG , deixando os filhos : Antonio Barbosa Castro , Rosa Maria de Jesus , Clara Maria de Jesus e Ana Maria de Jesus , creio que todos naturais de Ouro Branco , MG.

... 2) Manoel Barbosa (Padre) , nasc. em 1691 , da freguesia do Loivo do Concelho de Vila Nova de Cerveira , Portugal. Batizado em Cerveira aos 2/6/1691.
.
"M.el
Aos dos dias do mez de junho de mil seis centos e noventa e hú anno Baptizei e puz os Santos Oleos a Manoel filho de Domingos Mis e de sua molher Maria Dantas moradores na Rua do Cais desta Villa. Forão padrinhos Manoel Pereira Bacelar Governador desta prassa e Pedro da Silva juiz de fora desta Villa , de que fiz este termo dia Ut Supra.
O Cura M.el Gomes Barboza.
(Batizado na Igreja Matriz de São Cipriano)"

.
Informações de Genere :

Informação detalhada do processo de genere :
Manuel Barbosa
Número de processo Pasta (onde se encontra) Data de realização
15595 665 1716-08-28

Naturalidade do inquirido
   Freguesia Concelho Distrito
Loivo, Santa Marinha , Vila Nova Cerveira , Viana do Castelo.

Filiação e outras informações
   Pai Mãe
Domingos Martins e Maria Dantas
   Outras observações relevantes
Antonio Barbosa Dantas,Irmao. Proc.5576.

Registos relacionados por relação de parentesco
   Nome do parente Parentesco Processo
Antonio Barbosa Dantas (+) Irmão 5576

.

... 3) Domingos , nasc. em 1694 em Vila Nova de Cerveira.

... 4) João Barbosa Lima , que segue

... 5) Antonio Barbosa Dantas (Padre) , foi batizado aos 13/01/1704 na Igreja de São Cipriano , Vila Nova de Cerveira , Viana do Castelo , Portugal.
.
Do Processo de Genere et Moribus do padre Antonio Barbosa Dantas :

"Satisfazendo ao despacho do m.to. R.do S.or D.tor Vigr.o g.el desta Comarca de Valensa. Certifico q. provendo o Livro dos Bauptizados q. serve nesta minha .. de São Cipriano de Villa Nova de Servr.a achey hú acento do theor seg.te
Aos treze dias do mes de janeiro de mil e setecentos e coatro Bauptizey solem.te a Antonio filho legitimo de Domingos Martins e de sua molher Maria Dantas moradores na Rua do Cais forão Padrinhos Manoel Marinho Clerigo de Evangelho e Madrinha Izabel filha de Antonio Vicente moradores no arrabalde desta villa e de como fis este acento me asigno em ...supra o Abb.te Mathias Vilhanes de são e não continha mais o d.to acento a q. me reporto ao mesmo livro e por verdade pasey a prezente por
Fls.05
por me ser pedida e me ser mandada pasar o pasey na verdade. Villa nova de servr.a Hoje 10 de setembro de 1723 o q.j. in verbo sacerdotis do Abb.te
Manoel A.o Pr.a Varella

*
Fls.01
Pasta nð 245
Processo nð 5576
UNIVERSIDADE DO MINHO
A.H.U.M.

INQUIRIÇÃO DE GENERE
EM 15 DE DEZEMBRO DE 1723

DE: ANTÓNIO BARBOSA DANTAS
FILHO DE DOMINGOS MARTINS E DE MARIA DANTAS
NATURAL DA FREGUESIA DE VILA NOVA DE CERVEIRA - SÃO CIPRIANO , CONCELHO DE VILA NOVA DE CERVEIRA , DISTRITO DE VIANA DO CASTELO
Fls.02
VALLENÇA
.

Inquirição de Genere de Antonio Barbosa Dantas de Villa Nova de Cerveira Comarca de Valença.
Anno do Nascimento de Nosso Senhor Jesus Christo de mil setesentos e vinte e tres annos nesta cidade de Braga no campo da vinha della nas Casas do Cartorio deste Bispo que sam no dito campo ahi em .........do ditto anno foi dada a Inquirição no ......da parte do dto. Comissario ..... que lhe reconheci com a petição junta e .....e para constar fiz este termo eu Padre Jacome Fernandes ... que o escrevi.
Fls.03
Juntando .....as diligencias na forma de estillo.
Va. Nova de Cerveira ...dezembro 1723.
Diz Antonio Barbosa Dantas estudante filho leg.o de Domingos Martins já defunto e sua m.er Maria Dantas moradores em Villa Nova de Cerv.a Com.a de Val.ça deste Arcebispado de Braga que elle supp.te com o favor de Deos e V.a Ilm.a deseja m.tto ser ademitido a Ordem Menor e......por se achar com os p.tes. requezitos necessarios p.a o estado de sacerdote, e porq. deseja proceguir o intento sobredito que pertende portanto:
netto pela pte. paterna de Manoel Martins e m.er Maria Roiz... de Sta. Eufemia Calheiros .. Ponte de
Lima:e maternos de Gaspar L.ço, e sua m.er Catherina Dantas de V.Nova de Cervr.a

P. A  Ilma seja servido admitillo as Ordens que pertende, que nunca ....de .. a Deos pelo estado, e Augmto. de V.a Ilm.a.

Fls.04
Diz Antonio Barbosa Dantas estudante filho legto. de Domingos Martins ja defunto e sua m.er Maria Dantas naturais e moradores em Villa Nova de Cervr.a. frg.a de S.Cipriano Com.ca de Val.ça deste Arcebispado de Braga que elle supp.te p.a certos requirim.tos que ...sua Ilm.a lhe he necessario Certidão de sua Idade e porque o Rev.do parocho lhe não quer passar a ditta Certidão sem ordem de Vm. portanto:
P.  a  V.M. seja servido mandar que o Rev.do parocho lhe passe a ditta Certidão de Idade como constar do libro dos Baptizados, e jurada em modo que fassa fe.
Satisfazendo ao despacho do m.to. R.do S.or D.tor Vigr.o g.el desta Comarca de Valensa. Certifico q. provendo o Livro dos Bauptizados q. serve nesta minha .. de São Cipriano de Villa Nova de Servr.a achey hú acento do theor seg.te
Aos treze dias do mes de janeiro de mil e setecentos e coatro Bauptizey solem.te a Antonio filho legitimo de Domingos Martins e de sua molher Maria Dantas moradores na Rua do Cais forão Padrinhos Manoel Marinho Clerigo de Evangelho e Madrinha Izabel filha de Antonio Vicente moradores no arrabalde desta villa e de como fis este acento me asigno em ...supra o Abb.te Mathias Vilhanes de são e não continha mais o d.to acento a q. me reporto ao mesmo livro e por verdade pasey a prezente por
Fls.05
por me ser pedida e me ser mandada pasar o pasey na verdade. Villa nova de servr.a Hoje 10 de setembro de 1723 o q.j. in verbo sacerdotis do Abb.te
Manoel A.o Pr.a Varella
Reconheço a letra da sertidam acima e signal posto ao pe della ser tudo letra e signal do Reverendo Padre Manoel Afonso Pereira Varella abade desta villa de Villa Nova de Cerveira a cal letra e signal reconhesso por lha ver fazer muytas vezes em fe do que fasso aquy meu signal publico e raso de que .. e dada nesta villa de Villa Nova de Serveyra hoje aos des dias do mes de setembro de mil setesentos e vinte e tres annos Manoel Francisco Carneiro tabeliam que o escrevy.
Em fe da verdade.
Manoel Francisco Carneiro.
Fls.7
Inquirição de Genere de Antonio Barbosa Dantas de Villa Nova de Cervr.a

Anno do Nascimento de Nosso Senhor Jesus Christo de mil e sette centos e vinte e tres aos desasseis dias do mez de outubro do dito anno nesta villa de Ponte de Lima em o arrabalde della que he da Freguesia de Santa Marinha de Arcozello, ahi nas casas da residencia do Reverendo Doutor Antonio Pereyra de Castro Abbade da mesma Freguesia lhe foy intregue por Fiel a Comição aodiante do Illustrissimo e  Reverendissimo Senhor Dom Luiz Alvares de Figueiredo por merce de Deos e da Sancta See Appostolica Bispo de ....do Concilho de Sua Magestade que Deos goarde Coadjutor deste Arcebispado Primaz , e nelle Provisor e vigario geral pello Illustrissimo e Reverendissimo senhor Dom Rodrigo de Moura Telles por merce de Deos e da Sancta See Appostolica Arcebispo e Senhor de Braga Primas das Hespanhas ...para ....e conhecer da pureza ou impureza de sangue do justificante Antonio Barbosa Dantas pella parte de seus avos Paternos e para lhe dar principio logo elegeo para Secretario della a mim o Padre Antonio Pereyra Cardoso da Freguesia de Sam Martinho de Crasto termo da Barca e me deu o juramento dos Sanctos Evangelhos e ... tambem de minhas maos sob cargo do quoal prometemos intimamente satisfazer a tudo o que na dita Commição se determina e hum e outro no mesmo dia fomos a freguesia de Santa Euphemia de Calheyros do mesmo termo, e nella informandosse particularmente da pureza do Reverendo Parocho ou se hera ou não
Fls.07
não suspeyto para o que se lhe determinasse a respeyto da averiguação de esta diligencia, e achando sem suspeyta o mandou vir a sua presença em a Igreja da mesma freguesia ao quoal emcarregou sob juramento dos Sanctos Evangelhos, e excomunhão ipso facto incomenda que lhe nomeasse dez testemunhas das mais Antiguas fidedignas, e christaos velhos que ouvesse na mesma freguesia e se informasse da pureza ou impureza de sangue de Manoel Martins e sua mulher Maria Rodrigues da mesma freguesia avos Paternos do justificante Antonio Barbosa Dantas, ....na Commição que lhe aprezentou, o quoal logo disse lhe nomeou as testemunhas e passaria sua Certidam do que na verdade lhe constasse, e os depoimentos dellas são os que aodiante se seguem de que para constar mandou fazer este Termo que assignou, e eu o Padre Antonio Pereyra Cardoso que o Escrevy.
O P.e Ant.o Pr.a Cardoso.
E logo elle Reverendo Commissario mandou vir as testemunhas a sua presença, e as inquiriu na forma seguinte.
                         Testemunhas
fls.11
Testemunhas
Item Pascoal de Siqueyros Homem veuvo Lavrador e morador no Lugar do Portal desta mesma freguesia de Sancta Euphemia de Calheyros, testemunha a quem elle Reverendo Commissario deu o juramento dos Sanctos Evangelhos sob cargo do quoal lhe emcarregou falasse verdade em o que fosse perguntado e de sua Idade disse ser de oitenta e hum annos pouco mais ou menos, e aos costumes disse nada e perguntado elle testemunha pello contheudo no primeyro artigo da Commição disse que não sabia, nem pessoa algua lhe dicera o negocio para que era chamado ou que jurasse mais ou menos verdade do que soubesse e mais não disse deste.
E perguntado ao segundo disse que não conhece ao justificante e mais não disse deste.
E ao terceyro disse que conheceu muyto bem a Domingos Martins, o quoal no tempo das guerras passadas sendo Sargento se cazara em Villa Nova de Serveyra adonde assistia e que hera natural desta freguesia do Lugar do Rapido, e o mesmo de que se tracta na Commição e mais não disse deste.
E perguntado ao quarto disse que conheceu muito bem aos avos Paternos do justificante Manoel Martins, e sua mulher Maria Rodrigues os quoais heram naturais do Lugar do Rapido asima dito adonde viveram por tempo de muitos annos e vivendo de suas fazendas, e que são os mesmos de
Fls.12
de que se tracta na Commição com os quoais comonicou muitas vezes cauza porque tem verdade seu conhecimento, e mais não disse deste.
E perguntado ao quinto disse que o justificante Antonio Barbosa Dantas pella parte dos ditos seus avos paternos he legitimo e inteyro christão velho limpo e de limpo sangue e geração sem raça de christam novo, judeu, mouro, mulato, mourisco, ou de outra alqual infecta nassão das Reprovadas em direyto contra nossa Sancta Fee catholica, e que nunca foram presos, ou penitenciados pello Sacto Officio, nem pagaram para afim da nação Hebraica, nem disso foram infamados, .....e concluídos por inteyros chitados nullos o que sabia pellas razois dadas, e conhecer não so a Mesmas inda a seus descendentes que da mesma sorte não padecem fala algua das reprovadas, e mais não disse deste nem dos mais artigos que todos lhe foram perblicados pello Reverendo Comissário com quem assignou e eu o Padre Antonio Pereyra Cardoso que o Escrevy.
Paschoal de Siqueyra
Item Mathias Alvares Homem casado lavrador e morador no Lugar do Anheyro desta mesma freguesia testemunha a quem elle Reverendo Commissario deu o juramento dos Sanctos Evangelhos sob cargo do quoal lhe encarregou falasse verdade no que fosse perguntado e de sua idade disse ser de septenta annos pouco mais ou menos, e aos costumes disse nada.
E perguntado
Fls.13
E perguntado elle testemunha pello contheudo no primeyro artigo da Commição disse que não sabia nem pessoa algua lhe dicera o para que hera chamado ou que jurando nesta ou outra semelhante inquirição dicesse mais ou menos verdade de que soubesse e mais nada disse deste.
E perguntado ao Segundo artigo o disse que não conhece ao justificante Antonio Barboza Dantas nem a seu Pay Domingos Martins o quoal digo, mas ouvio dizer que no tempo das guerras sendo elle Sargento se cazara em Villa Nova de Serveyra, e que he natural do lugar do Rápido desta mesma Freguesia de Sancta Euphemia de Calheyros e que he o mesmo de que se tracta na Commição E mais não diise deste e nem do terceyro por ter dito o que sabia.
E perguntado ao quarto disse que conheceo muito bem a Manoel Martins e sua mulher Maria Rodrigues avos Paternos do justificante os quoais heram naturais do Lugar do Rápido desta mesma freguesia de Calheyros os quoais nella moravam sempre vivendo de suas fazendas the o tempo que se faleceram e que os conheceu por tempo de muitos annos e são os mesmos de que se tracta na commição e lhe conhece filhos nesta freguesia, e mais não disse deste.
E perguntado ao quinto disse que o justificante por sy e pelos ditos avos Paternos Manoel Martins e Maria Rodrigues sua mulher sam digo he legitimo e inteyro christam velho
Fls.14
Velho e limpo e de limpo sangue e geração sem raça algua de christam novo, judeu, mouro, mullato, mourisco, ou de outra algua infecta nasção das reprovadas em direyto contra a nossa Sancta Fee catholica e que nunca foram presos ou penitenciados pello Sancto Officio nem pagaram para a finta da nasção Hebraica nem disso nunca foram infamados mas ...., havidos e conhecidos por inteyros christãos velhos sem fama em contrario e que nunca ouvio que pella parte dos mais avos padecesse infâmia  o justificante no seu sangue e que sabe por ser da mesma freguesia visinho donde elles morarão  e assim ouvir e conhecer, e mais não disse deste artigo, e artigos que todos lhe foram lidos pello Reverendo Commissario com quem assignou depôs de lidoseu testemunho e eu o Padre Antonio Pereyra Cardoso que o escrevy.
Mathias Alvarez.
Item Manoel Fernandez homem cazado lavrador e morador no Lugar dos Casaes desta mesma freguesia de Sancta Euphemia testemunhaa quem elle Reverendo commissario deu juramento dos Sanctos Evangelhos sob cargo do quoal lhe encarregou falasse verdade ao que fosse perguntadoo que prometeu satisfaser, e de sua Idade disse ser de secenta annos pouco mais ou menos e aos costumes disse nada.
E perguntado ao primeiro artigo da commissão disse que
Fls.15
Que nada sabia nem pessoa algua lhe dicera o para que hera chamado ou que jurasse nesta ou outra semelhante Inquirição dicesse mais ou menos verdade do que soubesse e mais não disse deste.
E perguntado ao segundo disse que suposto não conhecer ao justificante Antonio Barbosa Dantas comtudo conhece muito bem a seu Pay Domingos Martins o quoal sendo Sargento e assistindo na Praça de Villa Nova de Cerveyra nella se cazou mas que não conhece sua mulher e que inda nella vive, e he o mesmo de que se tracta na Commição e mais não disse deste nem do terceyro por ter dito o que sabia.
E perguntado ao quarto disse que conheceu a Manoel Martins e sua mulher Maria Barbosa do Lugar do Rápido desta mesma freguesia de Calheyros avos Paternos do justificante os quoais viveram de suas fazendas sempre the o tempo em que se faleceram e que nesta freguesia há hinda filhos delles vivos, que conhece muitos e com hus e outros comonicou e tractou muitas vezes e que são os mesmos de que se tracta na commição e mais não disse deste.
E perguntado Ao quinto disse que o justificante por sy e pellos ditos seus avos Paternos Manoel Martins, e sua mu-
Fls.16
Mulher Maria Rodrigues he legitimo e inteyro christam velho limpo e de limpo sangue e geração sem raça algua de judeu, christão novo, negro, mullato, mourisco ou de outra algua infecta nasção das reprovadas em direyto contra nossa sancta fee catholica, e que nunca foram presos, ou penitenciados pello sancto officio nem pagaram para a finta da nasção Hebraica nem disso foram infamados antes tidos e conhecidos por integros christãos velhos, o que sabe por ser visinho do mesmo lugar e conhecer suas naturalidades e dessendentes, e ser publico vos e fama e mais não disse deste artigo e artigos que todos lhe foram publicados pello Reverendo Commissario com quem assignou depois de lhe ser lido seu testemunho que disse estava na verdade e eu o Padre Antonio Pereyra Cardoso que o Escrevy.
Manoel Fernandez.
Item Bento Martins homem cazado lavrador e morador no Lugar dos Casaes desta mesma freguesia testemunha a quem elle Reverendo commissario deu o juramento dos sanctos evangelhos sob cargo do quoal lhe encarregou falasse verdade ao que fosse perguntado , e goardasse segredo o que prometeu satisfazer e de sua Idade disse ser de sinquoenta annos pou-
Fls.17
Pouco mais ou menos e aos costumes disse nada.
E perguntado ao primeiro artigo da Commição disse que não sabia nem pessoa algua lhe dicera o para que hera chamado ou que jurando nesta ou outra semelhante inquirição dicesse mais ou menos verdade do que soubesse e mais não disse deste.
E perguntado ao segundo disse que não conheceao justificante Antonio Barbosa Dantas, mas que conhece de muitos annos a seu Pay Domingos Martins o quoal he natural desta Freguesia de Santa Euphemia de Calheyros do Lugar do Rapido e que nella viveo por tempos de muitos annos emquoanto se não cazou na dita praça de villa Nova de Cerveyra e mais não disse.
E perguntado ao quarto disse que conheceu muito bem a Manoel Martins e sua mulher Maria Rodrigues naturais desta mesma freguesia de Calheyros do Lugar do Rapido, adonde asistiram sempre the o tempo de seu falecimento vivendo de suas fazendas e que são os mesmos de que se tracta na commição e que delles he  filho o dito Domingos Martins, Pay do justificante e mais não disse deste artigo.
E perguntado ao quinto disse que o dito Antonio Barbosa
Fls.18
Barbosa Dantas he por sy e pellos ditos seu Pay e avos Paternos he legitimo e inteyro christam velho limpo e de limpo sangue e geraçam e sem fama nem rumor de christam novo judeu mouro, mulato, mourisco ou de outra algua infecta nasção das reprovadas em direyto contra nossa Santa fee catholica e que nunca foram presos punidos penitenciados pellos sancto officio nem disso foram enfamados mas antes tidos e conhecidos por inteyros christãos velhos e que sabe por conhecer suas origens, e ser seu visinho e varias veses comonicar com pessoas antiguas desta freguesia que conheceram seus antepassados, e mais não disse deste artigo, e artigos que todos lhe foram publicados pello reverendo commissario e eu o Padre Antonio Pereyra Cardoso o Escrevy.
Bento Martins.
Item Domingas Alvares veuva do lugar dos Casaes desta mesma freguesia testemunha a quem elle o reverendo commissario deu o juramento dos sanctos Evangelhos sob cargo do quoal lhe encarregou falasse verdade ao que fosse perguntada o que prometeu saber fazer e de sua Idade disse ser de Sacenta e sinco annos pouco mais ou menos e aos costumes disse nada.
E perguntado elle
Fls.19
Ella testemunha pello contheudo no primeyro artigo da commição disse que não sabia o para que hera chamado nem pessoa algua lhe dicera que jurando nesta ou outra algua Inquirição dicesse mais ou menos verdade do que soubesse e mais não disse.
E perguntada ao primeyro artigo da commição disse que não conhece ao justificante Antonio Barboza Dantas por ser natural e morador na villa Nova de Cerveyra e que conhece muito bem a seu Pay Domingos Martins do tempo em que vivia nesta freguesia adonde nasceu, no lugar do Rapido e que vivia de sua fazenda e mais não disse deste nem do terceyro por ter dito o que sabia.
E perguntada ao quoarto disse que conheceu muito bem a Manoel Martins e sua mulher Maria Rodrigues avos Paternos do justificante Antonio Barboza Dantas os quoais são naturaes desta mesma freguesia do Lugar do Rapido e que ali viveram sempre de suas fazendas the o tempo de seu falecimento, e que são os mesmos de que se tracta na Commição e que tiveram mais filhos que inda vivem nesta mesma freguesia com os quoais tem commonicação e conhece de muitos annos e mais não disse nada disse deste.
E perguntado
Fls.20
E perguntado ao quinto artigo disse que o justificante Antonio Barboza Dantas pella parte dos ditos seus avos Paternos he legitimo e inteyro christão velho limp e de limpo sangue e geração sem raça algua de judeu, e christam novo, negro, mulato, mourisco ou de outra algua infecta nasção das reprovadas em direyto contra nossa sancta fee catholica, e que nunca foram presos ou penitenciados pello sancto officio nem pagaram para a finta da nasção Hebraica, nem disso foram emfamados antes tidos e conhecidos por inteyros christaõs velhos, o que sabe por ser da mesma freguesia visinha donde elles morarão e mais não disse deste nem dos mais artigos que lhe forão lidos pello reverendo commissario a quem rogou que por ella assignasse e eu o Padre Antonio Pr.a Cardoso o Escrevy.
Item Joam Gonçaves homem cazado lavrador e morador no Lugar dos Casaes da mesma freguesia de Santa Euphemia de Calheyros testemunha a quem elle reverendo commissario deu o juramento dos santos Evangelhos sob cargo o quoal lhe emcarregou falasse verdade e de sua Idade disse ser de quarenta e sinco annos pouco mais ou menos e aos costumes nada.
E perguntado elle testemunha pello contheudo no primeyro ar
Fls.21
Artigo da Commição disse que não sabia, nem pessoa algua lhe dicera o negocio para que era chamado ou que jurasse nesta ou outra semelhante inquirição dicesse mais ou menos verdade que soubesse e mais não disse deste.
E perguntado ao segundo disse que conhece muito bem a ordinando Antonio Barbosa Dantas natural de Villa Nova de Cerveyra adonde assiste na Companhia de seu Pay Domingos Martins o quoal he natural desta freguesia de Calheyros do Lugar do Rapido donde foy cazar a dita villa e nella assiste há muitos annos, e que he o mesmo de que tracta a Commição e mais não disse deste nem do terceyro por ter dito o que sabia.
E perguntado ao quoarto disse que não conhece a Manoel Martins e sua mulher Maria Rodrigues da mesma freguesia e Lugar, avos Paternos do justificante Antonio Barbosa Dantas, mas que sempre ouvio dizer que heram naturaes do dito Lugar e que tiveram filhos que alguns moram nesta mesma freguesia e outro foy cazar a dita villa de Villa Nova de Cerveyra, e que he o Pay do justificante Antonio Barbosa Dantas e o mesmo de que se tracta na commição com quem tinha commonicado muitas vezes, e mais não disse deste artigo.
E perguntado ao quinto disse que o dito justificante por sy e pellos ditos seus avos Paternos Manoel Martins e sua mulher Maria Rodrigues
Fls.22
Rodrigues he legitimo e inteyro christam velho limpo e de limpo sangue e geração, sem raça algua de christam novo, judeu, mouro mulato, mourisco ou de outra algua infecta nasção das reprovadas em direyto contra nossa Sancta Fee Catholica e que nunca foram presos, punidos ou penitenciados pello sancto officio, nem pagaram para a finta da nasção Hebraica nem disso foram nunca infamados mas antes tidos, nomeados e conhecidos por inteyros christãos velhos sem fama nem rumor em contrario e que já o justificante tem hum irmão clerigo, de ordens de missa, o que sabe por ser da mesma freguesia e assim ouvir e conhecer e ser notoriamente publico e mais disse deste nem dos mais artigos que todos lhe foram publicados pello reverendo commissario com quem assignou, mas digo assignou depois de lido seu testemunho que disse estar na verdade e eu o Padre Antonio Pereyra Cardoso o Escrevy.
João Gonçalves.
Item Phelipe Joam homem viuvo lavrador e morador no Lugar dos Casaes desta mesma freguesia testemunha a quem elle reverendo commissario deu o juramento dos sanctos Evangelhos sob cargo do quoal lhe emcarregou falasse verdade ao que fosse perguntado e de sua Idade disse ser de secenta e tres annos pouco mais ou menos e aos costumes disse nada.
E perguntado elle teste
Fls.23
Testemunha pello comtheudo no primeyro artigo da commição disse que não sabia nem pessoa algua lhe dicera o para que hera chamado, ou que jurasse mais ou menos verdade que soubesse fazendo o nesta ou outra semelhante inquirição e mais nada disse deste.
E perguntado ao segundo disse que conhece muito bem ao justificante Antonio Barbosa Dantas e inda a outro seu Irmão clerigo os quoais sam naturaes de Villa nova de Cerveyra adonde tem varias vezes commonicado com elles e que he o mesmo de que se tracta na commição e mais não disse deste.
E perguntado ao terceyro disse que o justificante hera filho legitimo e de legitimo matrimonio de Domingos Martins e de sua mulher Maria Dantas, esta natural da freguesia de Villa Nova de Cerveyra e elle desta freguesia do Lugar do Rapido visinho donde elle testemunha vive, e que sendo Sargento no tempo das guerras se cazou na dita villa e que he o mesmo de que se tracta na commição e mais não disse deste.
E perguntado pello quoarto disse que conhece muito bem a Manoel Martins e sua mulher Maria Rodrigues naturaes que foram do mesmo Lugar do Rapido desta freguesia e avos Paternos do justificante os quoais assistiam nesta freguesia the o tempo em que se faleceram vivendo de suas fazendas e que com elles tratou muitas vezes e conhece suas origens
Fls.24
Origens e que delles he filho o dito Domingos Martins e mais Irmãos que tem nesta freguesia e mais não disse deste.
E perguntado ao quinto disse que o justificante por sy e pellos ditos seu Pay e avos Paternos he legitimo e inteyro christão velho limpo e de limpo sangue e geração sem raça algua de judeu mouro, mulato, mourisco, ou de outra algua infecta nasção das reprovadas em direyto contra a nossa sancta fee catholica e que nunca foram presos nem penitenciados pello sancto officio nem pagaram para a finta da nasção Hebraica, nem disso foram enfamados, mas antes tidos havidos e conhecidos por inteyros christãos velhos o que sabe por ser visinho e assim o ter ouvido dos Homens que tem havido mais antigos na mesma freguesia e destes ditos avos se tirar já outra inquirição para hum Irmão do justificante se ordenar, e mais não disse deste nem dos mais artigos que foram lidos pello reverendo commissario e eu o Padre Antonio Pereyra Cardoso que o Escrevy.
Phelipe Joam
Item Ursula Martins mulher solteyra moradora no Lugar dos Casaes desta mesma freguesia mulher que vive de suas fazendas a quem elle reverendo commissario deu o juramento dos sanctos Evangelhos sob cargo do quoal lhe emcarregou falasse verdade ao que fosse perguntada e de sua Idade disse ser de secenta e sinco annos pouco mais ou menos e aos costumes ...."

.
Donna Theresa Maria Rangel de Jezus, herdeira do Padre Antonio Barboza Dantas

"Pitangui , Minas Gerais
Antonio Barboza Sandoval, tutor
Joaquim Barboza Sandoval, testamenteiro
Donna Theresa Maria Rangel de Jezus, herdeira do Padre Antonio Barboza Dantas

.
Anno do Nassimento de Nosso Senhor Jezus Christo de mil setecentos e setenta e seis annos aos doze dias do mes de Fevereiro do dito anno nesta villa de Nossa Senhora da Piedade de Pitangui, em cazas de morada do Alcayde da dita villa Joze .......da Silva Lobo onde eu escrivam adiante nomeado fui vindo e sendo ahi  pello dito Alcayde ............ de hum mandado executivo do Juiz ordinario desta villa passado a requerimento do Alferes Joze de Souza Coelho foi feita penhora ......em hum negro por nome Domingos de nação Mina para pagamento da quantia de sessenta e seis mil oitocentos e onze reis que deve a herança do defunto Padre Antonio Barboza Dantas de custas do tempo que o dito exequente foi escrivao por conta da Real Fazenda cujo escravo he pertencente a mesma herança e logo o dito Alcayde o depozitou em mam e poder de Antonio Lopes de Faria que delle se deu por entregue .........das leys de fiel depozitario ......escrivam .................................................
ordem de Justiça e peso da ley de que para constar faço este auto de penhora em que assignou o dito Alcayde e depozitario eu Manoel de Souza de Macedo escrivam de/

Foto 247
Continuação da foto 246.
Borda superior danificada.
Só restaram as assinaturas.
Ant.o Lopes de Faria
Joze Per.a da Silva Lobo


Certifico em como notifiquei a Antonio Barboza Sandoval em sua propria pessoa e na delle bem como a Erdeira sua Irmã Donna Theresa, e a Joaquim Barboza Sandoval em sua propria pessoa para todos alegarem os embargos que tiverem a penhora executada na forma da Ley......o referido he a verdade em fé de que faço a prezente certidao....
.......dias sete de Marso de 1776.
Joze Per.a da Silva Lobo".

.
O Padre Antonio Barbosa Dantas já se encontrava no Brasil em 02/05/1735 , quando assinou como testemunha no casamento de seu irmão João Barbosa Lima com Teresa Quitéria de Jesus Sandoval na Capela de Santa Rita , em Santa Rita de Ouro Preto, distrito de Ouro Preto , Minas Gerais. Foi também morador , o dito padre , em Pitangui , MG.
.
... 6) Catherina , batizada aos 11/09/1700 na Igreja de São Cipriano , em Vila Nova de Cerveira.
.
... 7) Antonia , batizada aos 13/01/1704 , na mesma Igreja de São Cipriano.
.
Cap. IV - João Barbosa Lima

Foi batizado João Barbosa Lima em 01/03/1698 na Igreja de São Cipriano , Vila Nova de Cerveira , Portugal. Faleceu aos 31/10/1759 em Vila Rica , MG.
Foi casado com Thereza Quiteria de Jesus Sandoval em 02/05/1735 na Capela de Santa Rita em Santa Rita de Ouro Preto , distrito de Ouro Preto , filha de João Lourenço de Magalhães e de sua mulher Barbara de Escocia Sandoval.
.
João Barbosa Lima e sua mulher Thereza Quiteria de Jesus Sandoval , deixaram os filhos :

..... Maria Theresa Rangel de São Jose , nasc. em 1738
..... João , batizado em 15/12/1739 , falecido antes de 1759
..... Tte. Antonio Barbosa Sandoval , nasc. em 1743
..... Joaquim Barbosa Sandoval , nasc. em 1745
..... Ana Felizarda da Trindade , nasc. em 1747
..... Joseph Barbosa Lima , nasc. em 1749
..... Ignacio Barbosa de Marins , nasc. em 1753
..... Thereza Maria de Jesus , nasc. em 1755
..... Luiza Maria de Jesus , nasc. em 1757
..... Francisco Antonio Barbosa Sandoval , nasc. em 1759

A família de Theresa Quitéria de Jesus Sandoval , seus descendentes e ascendentes , encontram-se no blog "A Origem da Família Barbosa Sandoval" , em : http://rlavodnas.blogspot.com/
.
[Seguem fotos no rodapé deste blog]

[Em construção]

Colaboradores :
.
Ademildes Maria Barbosa
...Ana Paula Pereira
      Maria Emília Osório
.....    Sílvia Rita do Prado Mendes Buttros

Um comentário:


  1. Família Dantas de Vila Nova de Cerveira,
    Deixo aqui, fundamentada a paternidade de Catarina Dantas, seus pais foram Bento Vicente e Maria Dantas. https://familysearch.org/ark:/61903/3:1:3QSQ-G9F6-PLDC?mode=g&i=2&owc=collection%2F2125025%2Fwaypoints&wc=SSVD-ZKT%3A363118001%2C363600301%2C363600302%2C1077047822%3Fcc%3D2125025&cc=2125025

    Eu descendo dos pais do padre Manuel Barbosa Dantas, João Álvares, Senhor da Quinta de Santo António de Lourido ( Felgueiras Gayo, ttº Araújos) e Isabel Barbosa ( Fiúza), filha de Martinho Vaz e de Isabel Barbosa. Essa Quinta esteve na posse da família Sanches de Castro de Vila Nova de Cerveira até cerca de 1900.
    Maria Emília Sanches de Castro Osório

    ResponderExcluir